quinta-feira, 17 de dezembro de 2009

CORRENTE DO BEM - BOAS FESTAS

MEUS QUERIDOS AMIGOS, EU DESEJO
A VOCÊS MUITA PAZ E HARMONIA
RIAM MUITO, PLANTANDO O AMOR MAIOR
CURTAM A VIDA EM BOA COMPANHIA
UNAM FORÇAS, TRABALHO E SUOR
SEJAM A LUZ QUE O FUTURO IRRADIA

LUMINOSO NATAL QUE ANUNCIA
UM MOMENTO PARA REFLEXÃO
COM VALORES QUE DEVEM SER LEMBRADOS
E VIVIDOS POR TODO BOM CRISTÃO
NO ANO NOVO QUE CHEGA VOS DESEJO
NOVIDADES QUE ANIMEM VOSSAS VIDAS
ALEGRIAS EM CADA CORAÇÃO



segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

Fim de Ano na Feira de São Cristóvão


Gonzagão será homenageado no Centro Municipal Luiz Gonzaga de Tradições Nordestinas
.

12/dez - 22h. Classificação etária 18 anos. Shows com Zé Calixto, Marcus Lucenna, César Nascimento, Tribo de Gonzaga, Forró Safira e Cassiano Beija-flor. Presença de Autoridades e Personalidades.

13/dez - 10h. Classificação etária livre. Abraço simbólico em volta do Centro. Lançamento da pedra fundamental do Centro de Memória do Migrante Nordestino. Distribuição de kits com camisetas e córdeis.
12h - Missa nordestina. Inauguração do presépio. Benção da réplica da Igreja São Francisco da cidade de São Cristóvão em Sergipe.

18/dez e 19/dez às - 20h. Classificação etária 14 anos. Folia de Reis

20/dez - 18h. Classificação etária 14 anos. Auto de Natal com o Grupo Marabrasil

domingo, 6 de dezembro de 2009


Fim de ano arretado na Feira de São Cristóvão


Gonzagão será homenageado no Centro Municipal Luiz Gonzaga de Tradições Nordestinas nos dias 12 e 13 de dezembro com um abraço simbólico e muita diversão


Pela primeira vez, o Centro Municipal Luiz Gonzaga de Tradições Nordestinas faz uma programação Especial de Natal com shows, arrecadação de livros, inauguração do Centro de Memória do Migrante Nordestino (Museu da Migração), o tradicional forró e literatura de cordel e um grande abraço simbólico de meia volta no entorno da Feira. Todas essas atrações fazem parte da programação de fim de ano que a Feira de São Cristóvão, como é popularmente conhecida, fará em homenagem a Luiz Gonzaga, que, se estivesse vivo, completaria 97 anos no dia 13 de dezembro.

As comemorações se iniciam no dia 12 de dezembro, às 22h com apresentações de Zé Calixto (conhecido como Rei dos Oito Baixos - espécie de sanfona), Marcus Lucenna, César Nascimento, Tribo de Gonzaga, Forró Safira e Cassiano Beija-flor. Miniaturas do rei do baião serão presenteadas a autoridades e convidados especiais.

"Essa homenagem é mais do que necessária ao Rei do baião e patrono da feira. Ele foi o porta-voz da civilização nordestina. Uma voz mágica que teve que lutar muito para ser ouvida, mas cumpriu sua missão. Essa voz tinha cara de lua e nome de santo: Luiz Gonzaga. Sinto-me muito feliz e privilegiado, por gerenciar o Centro Municipal Luiz Gonzaga de Tradições Nordestinas. Estava no local certo, na hora certa quando me escolheram para gerenciar a feira", diz Marcus Lucenna, atual gestor do local.

Abraçando a memória nordestina

No dia 13, às 10h, uma grande corrente humana será formada para dar um abraço em volta do Centro - indo da estátua de Luiz Gonzaga a estátua do Padre Cícero. Esse ato simbólico será uma homenagem a Gonzagão, que morreu há 20 anos (02 de agosto de 1989) e também lançar pedra fundamental do Centro de Memória do Migrante Nordestino.

Na ocasião haverá arrecadação de literatura de cordel, fotos, objetos antigos, roupas de época, etc para o Centro de Memória que ficará permanentemente no local. Também serão arrecadados livros e brinquedos que, em parceria com a Ação da Cidadania, serão doados para a Campanha Natal sem Fome dos Sonhos.

Às 12h haverá uma missa nordestina com sanfoneiros da feira, uma benção da réplica da igreja de São Francisco da cidade de São Cristóvão em Sergipe com os padres Flávio e Honório e a inauguração do Presépio Nordestino todo confeccionado de cabaça, com textura de fibra natural, cetim, bucha, sementes e chitão. Serão distribuídos 1.000 kits com camiseta, cordéis sobre Luiz Gonzaga, Reis Magos e de artistas da feira com autores variados.
Festejos natalinos com a cara do nordeste brasileiro
"Meu pinheiro é meu mandacaru. Com enfeites de algodão. Alpercata no terreiro. Os Reis Magos três vaqueiros. Aboiando no Sertão...". O desejo do cantor alagoano Eliezer Setton está explícito em sua música, que tenta arrastar de vez o Natal para o verdadeiro clima nordestino, que nada tem haver com neve. E é nesse clima natalino genuinamente brasileiro que no dia 18, às 20h haverá apresentações de grupos de Folia de Reis Sagrada Família, dia 19, no mesmo horário, Folia de Reis do Centro de Tradições Nordestinas e no dia 20 de dezembro, às 18h o Centro de Tradições Nordestinas contará com um Auto de Natal com o Grupo Marabrasil.
Sobre Luiz Gonzaga
Luiz Gonzaga (1912 -1989) nasceu em Exu, no sertão de Pernambuco. Começou na música ouvindo e aprendendo com o oito baixos de seu pai, Januário. Autor de clássicos da música popular brasileira, como "Assum Preto", "Vem Morena" e "Asa Branca", Gonzagão, como ficou conhecido após a ascensão musical de seu filho Gonzaguinha, começou a carreira ainda jovem no Rio de Janeiro, na década de 1940.
Sobre a feira de São Cristóvão
Um pedaço do Nordeste no Rio de Janeiro. Assim pode ser definido o Centro Municipal Luiz Gonzaga de Tradições Nordestinas, onde funciona a tradicional Feira de São Cristóvão. São cerca de 700 barracas fixas que oferecem as várias modalidades da cultura nordestina: culinária típica, artesanato, trios e bandas de forró, cantores e poetas populares, repente e literatura de cordel.

A Feira funciona desde 2003 dentro do Pavilhão de São Cristóvão, marco da arquitetura moderna brasileira, reformado pela Prefeitura com o objetivo de preservar esse espaço tradicional da cultura nordestina na cidade.

Serviço:
Dias e horários:
12/dez - 22h. Classificação etária 18 anos. Shows com Zé Calixto, Marcus Lucenna, César Nascimento, Tribo de Gonzaga, Forró Safira e Cassiano Beija-flor. Presença de Autoridades e Personalidades.

13/dez - 10h. Classificação etária livre. Abraço simbólico em volta do Centro. Lançamento da pedra fundamental do Centro de Memória do Migrante Nordestino. Distribuição de kits com camisetas e córdeis.
12h - Missa nordestina. Inauguração do presépio. Benção da réplica da Igreja São Francisco da cidade de São Cristóvão em Sergipe.

18/dez - 20h. Classificação etária 14 anos. Folia de Reis Sagrada Família

19/dez - 20h. Classificação etária 14 anos. Folia de Reis do Centro de Tradições Nordestinas

20/dez - 18h. Classificação etária 14 anos. Auto de Natal com o Grupo Marabrasil

Endereço: Campo de São Cristóvão S/Nº - Pavilhão de São Cristóvão - Bairro de São Cristóvão - Rio de Janeiro/RJ
Tel: (21) 2293-0095 // www.feiradesaocristovao.org.br

Ingresso para todas as atrações: R$ 2,00
Estacionamento: R$ 5,00

________________________________________

Informações para a imprensa:
Márcia Vilella | Hayla Leite
Target Assessoria de Comunicação
Tels: (21) 2284 2475 | 2234 9621 | 8158 9692 | 8158 9715
target@target.inf.br

Final de Ano na Feira de São Cristóvão

Fim de ano arretado na Feira de São Cristóvão


Gonzagão será homenageado no Centro Municipal Luiz Gonzaga de Tradições Nordestinas nos dias 12 e 13 de dezembro com um abraço simbólico e muita diversão


Pela primeira vez, o Centro Municipal Luiz Gonzaga de Tradições Nordestinas faz uma programação Especial de Natal com shows, arrecadação de livros, inauguração do Centro de Memória do Migrante Nordestino (Museu da Migração), o tradicional forró e literatura de cordel e um grande abraço simbólico de meia volta no entorno da Feira. Todas essas atrações fazem parte da programação de fim de ano que a Feira de São Cristóvão, como é popularmente conhecida, fará em homenagem a Luiz Gonzaga, que, se estivesse vivo, completaria 97 anos no dia 13 de dezembro.

As comemorações se iniciam no dia 12 de dezembro, às 22h com apresentações de Zé Calixto (conhecido como Rei dos Oito Baixos - espécie de sanfona), Marcus Lucenna, César Nascimento, Tribo de Gonzaga, Forró Safira e Cassiano Beija-flor. Miniaturas do rei do baião serão presenteadas a autoridades e convidados especiais.

"Essa homenagem é mais do que necessária ao Rei do baião e patrono da feira. Ele foi o porta-voz da civilização nordestina. Uma voz mágica que teve que lutar muito para ser ouvida, mas cumpriu sua missão. Essa voz tinha cara de lua e nome de santo: Luiz Gonzaga. Sinto-me muito feliz e privilegiado, por gerenciar o Centro Municipal Luiz Gonzaga de Tradições Nordestinas. Estava no local certo, na hora certa quando me escolheram para gerenciar a feira", diz Marcus Lucenna, atual gestor do local.

Abraçando a memória nordestina

No dia 13, às 10h, uma grande corrente humana será formada para dar um abraço em volta do Centro - indo da estátua de Luiz Gonzaga a estátua do Padre Cícero. Esse ato simbólico será uma homenagem a Gonzagão, que morreu há 20 anos (02 de agosto de 1989) e também lançar pedra fundamental do Centro de Memória do Migrante Nordestino.

Na ocasião haverá arrecadação de literatura de cordel, fotos, objetos antigos, roupas de época, etc para o Centro de Memória que ficará permanentemente no local. Também serão arrecadados livros e brinquedos que, em parceria com a Ação da Cidadania, serão doados para a Campanha Natal sem Fome dos Sonhos.

Às 12h haverá uma missa nordestina com sanfoneiros da feira, uma benção da réplica da igreja de São Francisco da cidade de São Cristóvão em Sergipe com os padres Flávio e Honório e a inauguração do Presépio Nordestino todo confeccionado de cabaça, com textura de fibra natural, cetim, bucha, sementes e chitão. Serão distribuídos 1.000 kits com camiseta, cordéis sobre Luiz Gonzaga, Reis Magos e de artistas da feira com autores variados.
Festejos natalinos com a cara do nordeste brasileiro
"Meu pinheiro é meu mandacaru. Com enfeites de algodão. Alpercata no terreiro. Os Reis Magos três vaqueiros. Aboiando no Sertão...". O desejo do cantor alagoano Eliezer Setton está explícito em sua música, que tenta arrastar de vez o Natal para o verdadeiro clima nordestino, que nada tem haver com neve. E é nesse clima natalino genuinamente brasileiro que no dia 18, às 20h haverá apresentações de grupos de Folia de Reis Sagrada Família, dia 19, no mesmo horário, Folia de Reis do Centro de Tradições Nordestinas e no dia 20 de dezembro, às 18h o Centro de Tradições Nordestinas contará com um Auto de Natal com o Grupo Marabrasil.
Sobre Luiz Gonzaga
Luiz Gonzaga (1912 -1989) nasceu em Exu, no sertão de Pernambuco. Começou na música ouvindo e aprendendo com o oito baixos de seu pai, Januário. Autor de clássicos da música popular brasileira, como "Assum Preto", "Vem Morena" e "Asa Branca", Gonzagão, como ficou conhecido após a ascensão musical de seu filho Gonzaguinha, começou a carreira ainda jovem no Rio de Janeiro, na década de 1940.
Sobre a feira de São Cristóvão
Um pedaço do Nordeste no Rio de Janeiro. Assim pode ser definido o Centro Municipal Luiz Gonzaga de Tradições Nordestinas, onde funciona a tradicional Feira de São Cristóvão. São cerca de 700 barracas fixas que oferecem as várias modalidades da cultura nordestina: culinária típica, artesanato, trios e bandas de forró, cantores e poetas populares, repente e literatura de cordel.

A Feira funciona desde 2003 dentro do Pavilhão de São Cristóvão, marco da arquitetura moderna brasileira, reformado pela Prefeitura com o objetivo de preservar esse espaço tradicional da cultura nordestina na cidade.

Serviço:
Dias e horários:
12/dez - 22h. Classificação etária 18 anos. Shows com Zé Calixto, Marcus Lucenna, César Nascimento, Tribo de Gonzaga, Forró Safira e Cassiano Beija-flor. Presença de Autoridades e Personalidades.

13/dez - 10h. Classificação etária livre. Abraço simbólico em volta do Centro. Lançamento da pedra fundamental do Centro de Memória do Migrante Nordestino. Distribuição de kits com camisetas e córdeis.
12h - Missa nordestina. Inauguração do presépio. Benção da réplica da Igreja São Francisco da cidade de São Cristóvão em Sergipe.

18/dez - 20h. Classificação etária 14 anos. Folia de Reis Sagrada Família

19/dez - 20h. Classificação etária 14 anos. Folia de Reis do Centro de Tradições Nordestinas

20/dez - 18h. Classificação etária 14 anos. Auto de Natal com o Grupo Marabrasil

Endereço: Campo de São Cristóvão S/Nº - Pavilhão de São Cristóvão - Bairro de São Cristóvão - Rio de Janeiro/RJ
Tel: (21) 2293-0095 // www.feiradesaocristovao.org.br

Ingresso para todas as atrações: R$ 2,00
Estacionamento: R$ 5,00

________________________________________

Informações para a imprensa:
Márcia Vilella | Hayla Leite
Target Assessoria de Comunicação
Tels: (21) 2284 2475 | 2234 9621 | 8158 9692 | 8158 9715
target@target.inf.br

sexta-feira, 13 de novembro de 2009

A VOZ DE LUIZ GONZAGA TRADUZ O GRANDE SERTÃO

Prezado Sandro Vasques, atendendo a seu pedido, postamos o cordel de minha autoria em homenagem ao Rei do Baião. Um abraço fraterno.
Em nosso orkut temos disponíveis outros títulos. Obrigado pelo carinho.


A VOZ DE LUIZ GONZAGA TRADUZ O GRANDE SERTÃO

( MARCUS LUCENNA)


FOI NUM TREZE DE DEZEMBRO
DIA DE SANTA LUZIA
NA NOITE O GRANDE CLARÃO
DE UMA ESTRELA QUE CORRIA
RISCAVA O CÉU DO SERTÃO
ERA A ANUNCIAÇÃO
O “REI DO BAIÃO” NASCIA

NASCEU “SAMBUDO” E “TINHOSO”
NEM TÃO FORTE, NEM MOFINO
TROUXE UMA MISSÃO SAGRADA
CONSTRUIR O SEU DESTINO
SOLTANDO A VOZ NA ESTRADA
NUMA SANFONA CHORADA
TALENTO DE NORDESTINO

FILHO DE BOM SANFONEIRO
TINHA QUE SER BOM TAMBÉM
DE TABOCA A RANCHARIA
DE SALGUEIRO ATÉ BELÉM
SEU PAI TRAZIA ALEGRIA
TOCAVA E O POVO CORRIA
PRA CAIR NO XEM, EM, EM

SUA MÃE DONA SANTANA
UMA CABOCLA BREJEIRA
PERSONALIDADE FORTE
CARINHOSA E CONSELHEIRA
JANUÁRIO TEVE A SORTE
DE ARRANJAR PRA CONSORTE
UMA GRANDE COMPANHEIRA

QUANDO O MENINO NASCEU
O PAI CORREU PRO TERREIRO
DE BACAMARTE NA MÃO
PARECENDO UM ARTILHEIRO
PELO PIPÔCO E O CLARÃO
DESTAMBOCOU UM CANHÃO
O TIRO DO SANFONEIRO

O POVO DA CAIÇARA
COMEÇOU LOGO A CHEGAR
PRA CONHECER O MENINO
COMER, BEBER E REZAR
DESEJANDO UM BOM DESTINO
PARA MAIS UM NORDESTINO
FILHO DAQUELE LUGAR

POR SUGESTÃO DO VIGÁRIO
FOI BATIZADO O REBENTO
COM O NOME DE “LUIZ
GONZAGA DO NASCIMENTO”
DA IGREJA DA MATRIZ
O CASAL SAIU FELIZ
COM O ACONTECIMENTO

GONZAGA FOI O SEGUNDO
DE NOVE FILHOS NASCIDOS
JANUÁRIO DAVA DURO
QUERENDO OS BICHINS NUTRIDOS
TOCAVA ATÉ NO ESCURO
PRA VER SE DAVA UM FUTURO
PARA SEUS FILHOS QUERIDOS

O MENINO FOI CRESCENDO
NA SANFONA “DESASNANDO”
COM POUCO ATÉ JÁ ESTAVA
UNS “PÉS-DE-SERRA” SOLANDO
QUANDO O MOLEQUE TOCAVA
LOGO O CHINELO CHIAVA
COM O FORRÓ ESQUENTANDO

TRAQUEJADO NA SANFONA
COMEÇOU A AJUDAR
JANUÁRIO NOS FESTEJOS
ONDE ELE IA TOCAR
OS CABLOCOS SERTANEJOS
VIBRAVAM COM OS ARPEJOS
DAQUELE GONZAGUEAR

COMPROU SEU PRIMEIRO FOLE
UMA SANFONA AMARELA
AQUELE SOM ENVOLVENTE
QUE TIROU TOCANDO NELA
FEZ A LOJA ENCHER DE GENTE
GONZAGA SORRIU CONTENTE
ABRAÇADINHO COM ELA

SAIU FAZENDO SEU NOME
AO SOM DO SEU INSTRUMENTO
TOCANDO PRA TODO LADO
BATIZADO, CASAMENTO
NAS FEIRAS DO POVOADO
MOSTRAVA SER BEM DOTADO
POSSUIR GRANDE TALENTO

O OLHAR DE UMA CABOCLA
DERRETEU SEU CORAÇÃO
O PADASTRO DE NAZINHA
NÃO QUERIA ESSA UNIÃO
UM DIA DE TARDEZINHA
GONZAGA COMO CONVINHA
FOI TOMAR SATISFAÇÃO

LUIZ CHAMOU SEU RAIMUNDO
LÁ PARA UM CANTO DA FEIRA
POIS QUERIA TER COM ELE
UMA CONVERSA LIGEIRA
QUE DESCASO ERA AQUELE
DE NÃO DAR A “FILHA DELE”
PRA SER SUA COMPANHEIRA

ERA BEM INTENCIONADO
UM RAPAZ TRABALHADOR
NAZINHA TAMBÉM SENTIA
POR LUIZ UM GRANDE AMOR
COM ELA SE CASARIA
SEU RAIMUNDO NÃO PODIA
DIMINUIR SEU VALOR

O PADASTRO DE NAZINHA
OUVIU TUDO E SE CALOU
SENTIU-SE DESACATADO
MESMO ASSIM NÃO REVIDOU
SAIU DALI APRESSADO
E O QUE TINHA SE PASSADO
PRA SANTANA ELE CONTOU

SANTANA ENTÃO PREPAROU
PRA LUIZ UMA LIÇÃO:
QUERIA UM FILHO VALENTE
MAS NÃO CAVALO-DO-CÃO
QUERIA UM FILHO DECENTE
E NÃO UM CABRA INSOLENTE
SEM RESPEITO E POSIÇÃO

GONZAGA LEVA UMA SURRA
DE RELHO DE COURO CRU
DEIXOU SANTANA AÇOITAR
O SEU CORPO SEMI-NU
E DEPOIS SEM RECLAMAR
ARRIBOU DO SEU LUGAR
FOI EMBORA DE EXU

VENDEU A SUA SANFONA
QUE CUSTOU TANTO A COMPRAR
E PARTIU COM A CERTEZA
DE TÃO CEDO NÃO VOLTAR
PRA MOSTRAR SUA GRANDEZA
IRIA PRA FORTALEZA
NO EXÉRCITO SE ALISTAR

TALVEZ UM DIA VOLTASSE
TRANSFORMADO NUM SARGENTO
MAMÃE SANTANA IA TER
UM GRANDE CONTENTAMENTO
SEU RAIMUNDO IA DIZER
QUE PRA ELE ERA UM PRAZER
DAR-LHE A FILHA EM CASAMENTO

NO EXÉRCITO VIAJOU
QUASE O PAÍS INTEIRO
DEU BAIXA EM JUIZ DE FORA
EM TERRITÓRIO MINEIRO
VOLTAR PRO NORDESTE AGORA
SENTIU QUE NÃO ERA HORA
VEIO AO RIO DE JANEIRO

DEU BAIXA COMO SOLDADO
NEM A CABO ELE CHEGOU
“NÃO VOLTO PRA CASA ASSIM”
COM OS SEUS BOTÕES PENSOU:
“FOI PRA VENCER QUE EU VIM.
SE O RIO FOR BOM PRA MIM,
LUTO, VENÇO, DEPOIS VOU”.

JÁ NO RIO DE JANEIRO
SÓ COM A SUA SANFONA
O JEITO QUE ENCONTROU
PARA NÃO FICAR NA LONA
COM HUMILDADE ACEITOU
POR ALGUM TEMPO TOCOU
BEM NO “CORAÇÃO DA ZONA”

NO MANGUE LUIZ TOCAVA
OS RÍTMOS DO ESTRANGEIRO
FAZIA TUDO COM JEITO
PRA GANHAR ALGUM DINHEIRO
MAS LÁ NO FUNDO DO PEITO
APESAR DO ESFORÇO FEITO
NÃO SE ACHAVA VERDADEIRO

FOI ENTÃO POR ESSE TEMPO
QUE TOMOU A DECISÃO
DE MOSTRAR PR’AQUELA GENTE
UMAS COISAS DO SERTÃO
E TASCOU NO AMBIENTE
UM “PÉ-DE-SERRA” TÃO QUENTE
QUE INCENDIOU O SALÃO

LUIZ ACHOU O CAMINHO
ESTAVA MUITO ORGULHOSO
NO DOMINGO FOI TOCAR
NO PROGRAMA ARY BARROSO
E AO SE APRESENTAR
TIROU PRIMEIRO LUGAR
FEZ UM SUCESSO ESTRONDOSO

JÁ TINHA IDO AO PROGRAMA
E QUASE QUEBRADO A CARA
NÃO TINHA SIDO GONGADO
MAS O PRÊMIO NÃO GANHARA
AGORA ESTAVA ANIMADO
O POVO TINHA GOSTADO
DO SOM QUE ELE TOCARA

NO RÁDIO DEVAGARINHO
FOI COMEÇANDO A ENTRAR
ACOMPANHOU ZÉ DO NORTE
FOI CONVIDADO A GRAVAR
NUM “VIRA-E-MEXE” TÃO FORTE
A SUA ESTRELA DA SORTE
“DESTRAMELOU” A BRILHAR

UM FATO VEIO MARCAR
DE VEZ A SUA CARREIRA
A GRAVAÇÃO DO BAIÃO
SEU E DE HUMBERTO TEIXEIRA
QUE NAQUELA OCASIÃO
TROUXE UMA RENOVAÇÃO
PARA A MÚSICA BRASILEIRA

LUIZ GONZAGA MOSTROU
COMO SE DANÇA O BAIÃO
E O BRASIL APRENDEU
PRESTANDO BEM ATENÇÃO
SUA SANFONA GEMEU
E O VERDE SE ESTENDEU
POR “RIBA” DA PLANTAÇÃO

SEU LUIZ LUA GONZAGA
FAMOSO “REI DO BAIÃO”
RECEBA ESTA HOMENAGEM
DO FUNDO DO CORAÇÃO
EU VEJO NA SUA IMAGEM
UM EXEMPLO DE CORAGEM
PARA OS FILHOS DO SERTÃO

LUA CHEIA SERTANEJA
UM MUNDO DE POESIA
CINQUENTA ANOS CANTANDO
E TOCANDO A ALEGRIA
NOITE ADENTRO FORROZANDO
NA SANFONA CASTIGANDO
ATÉ O RAIAR DO DIA

OBS: HOMENAGEM DE “MARCUS LUCENNA”, PELA PASSAGEM DOS CINQUENTA ANOS DE CARREIRA DE GONZAGÃO ( QUE O BRASIL NÂO COMEMOROU ). O REI DO BAIÃO AINDA EM VIDA, GANHOU DO POETA ( NA ÉPOCA AINDA MUITO JOVEM), ESTA SINGELA HOMENAGEM.

domingo, 18 de outubro de 2009

"FULÔ-CORDEL" NA PRIMAVERA DOS LIVROS

NO MÊS PASSADO TIVEMOS A LITERATURA DE CORDEL INCLUÍDA NO "DIA MUNDIAL SEM CARRO" COM UMA CRIAÇÃO DO NOSSO "CANTADOR DOS QUATRO CANTOS". AGORA É A VEZ DA PRIMAVERA...
"PRIMAVERA COM LITERATURA DE CORDEL, OU LITERATURA DE CORDEL COM PRIMAVERA?!"

“FULÔ-CORDEL” NA PRIMAVERA DOS LIVROS

(MARCUS LUCENNA)

QUANDO LEMOS UM BOM LIVRO
PERCEBEMOS O VALOR
DAS INFORMAÇÕES PLANTADAS
ALI PELO SEU AUTOR
SÃO AS FLORES CULTIVADAS
NO JARDIM DO ESCRITOR

A PRIMAVERA DOS LIVROS
É A GRANDE FLORAÇÃO
POLENIZADAS DE IDÉIAS
SEMENTES EM GESTAÇÃO
SÃO COMO FLORES PLANTADAS
NA NOSSA IMAGINAÇÃO

DA COMPLETA INTERAÇÃO
ENTRE QUEM ESCREVE E LÊ
FAZEM-SE FLORES-PALAVRAS
NO JARDIM DO ABC
SURGINDO UMA PRIMAVERA
QUE SOMENTE O LEITOR VÊ

PORQUE OS LIVROS SÃO FLORES
DE AMOR, PAZ E POESIA
O LIVRO É AMIGO CERTO
MESTRE COM SABEDORIA
QUEM LÊ COM CERTEZA ENCONTRA
UM CAMINHO, A LUZ, UM GUIA

A PRIMAVERA DOS LIVROS
DENTRE SUAS MUITAS FLORES
NESTE RIO DE JANEIRO
CHEIO DE BELEZA E CORES
TRÁS O CORDEL COMO TEMA
DANDO A ELE MIL LOUVORES

SALVE ENTÃO OS ESCRITORES
OS EDITORES TAMBÉM
JANDIRA, QUE A CULTURA
DO RIO TRATA TÃO BEM
NA PRIMAVERA DOS LIVROS
TER CORDEL É NOTA CEM

FULÔ-CORDEL NA PRIMAVERA DOS LIVROS

NO MÊS PASSADO TIVEMOS A LITERATURA INCLUÍDA NO "DIA MUNDIAL SEM CARRO". AGORA É A VEZ DA PRIMAVERA...
"PRIMAVERA COM LITERATURA DE CORDEL, OU LITERATURA DE CORDEL COM PRIMAVERA?!"

“FULÔ-CORDEL” NA PRIMAVERA DOS LIVROS

(MARCUS LUCENNA)

QUANDO LEMOS UM BOM LIVRO
PERCEBEMOS O VALOR
DAS INFORMAÇÕES PLANTADAS
ALI PELO SEU AUTOR
SÃO AS FLORES CULTIVADAS
NO JARDIM DO ESCRITOR

A PRIMAVERA DOS LIVROS
É A GRANDE FLORAÇÃO
POLENIZADAS DE IDÉIAS
SEMENTES EM GESTAÇÃO
SÃO COMO FLORES PLANTADAS
NA NOSSA IMAGINAÇÃO

DA COMPLETA INTERAÇÃO
ENTRE QUEM ESCREVE E LÊ
FAZEM-SE FLORES-PALAVRAS
NO JARDIM DO ABC
SURGINDO UMA PRIMAVERA
QUE SOMENTE O LEITOR VÊ

PORQUE OS LIVROS SÃO FLORES
DE AMOR, PAZ E POESIA
O LIVRO É AMIGO CERTO
MESTRE COM SABEDORIA
QUEM LÊ COM CERTEZA ENCONTRA
UM CAMINHO, A LUZ, UM GUIA

A PRIMAVERA DOS LIVROS
DENTRE SUAS MUITAS FLORES
NESTE RIO DE JANEIRO
CHEIO DE BELEZA E CORES
TRÁS O CORDEL COMO TEMA
DANDO A ELE MIL LOUVORES

SALVE ENTÃO OS ESCRITORES
OS EDITORES TAMBÉM
JANDIRA, QUE A CULTURA
DO RIO TRATA TÃO BEM
NA PRIMAVERA DOS LIVROS
TER CORDEL É NOTA CEM

terça-feira, 22 de setembro de 2009

DIA MUNDIAL SEM CARRO

DIA MUNDIAL SEM CARRO
( 22 DE SETEMBRO )
(Marcus Lucenna)

A indústria do automóvel
Está fazendo cem anos
E um bilhão de veículos
Transportam seres humanos
Sujando a atmosfera
Com a descarga dos seus canos

Foi preciso um século inteiro
Pra chegar a um bilhão
Em vinte anos somente
Os carros dobram e então
Será difícil viver
Com tanta poluição

Queimar combustíveis fósseis
Traz o desenvolvimento
Ele se tornou a base
Que permite o crescimento
Mas provoca efeito estufa
Da Terra o aquecimento

Quase quarenta por cento
De toda poluição
Do ar que nós respiramos
São frutos da combustão
Provocada por veículos
De motor a explosão

Essa base energética
Trouxe progresso fecundo
Mas ao mesmo tempo causa
Constrangimento profundo
Pois afeta a natureza
Poluindo nosso mundo

Para manter o progresso
Com as suas serventias
A humanidade busca
Novas tecnologias
Alternativas diversas
Fontes limpas de energias


Mas enquanto nós usarmos
A energia atual
Altamente poluente
Pra ela não ser letal
Precisamos ser sensíveis
Pra combater esse mal

Usem o Dia Mundial
Sem Carro pra refletir
Pensar em novas maneiras
Para o nosso ir e vir
Cuidar do nosso planeta
Permite a gente existir

Já faz mais de uma década
Pra ser preciso onze anos
Que começou lá na França
E hoje nos irmanamos
Aos milhões no mundo inteiro
Seguindo com esses planos

Pra gente poder sentir
Da natureza a aragem
Vamos deixar por um dia
Nosso carro na garagem
E outra forma de transporte
Usar em nossa viagem

Seja pra ir ao trabalho
Ou mesmo pra passear
No vinte e dois de setembro
Aproveite pra usar
Os transportes coletivos
Deixe o carro descansar

A qualidade do ar
Melhora e traz alegria
Se todos participarem
Veremos como seria
Todo centro da cidade
Sem carros no dia-a-dia

Ande à pé, de bicicleta
De ônibus, metrô ou trem
Dia Mundial Sem Carro
Será o dia do bem
Mãe natureza agradece
Dando o valor que ela tem

Enquanto ainda há tempo
Cuide do nosso planeta
E cobre dos governantes
Que desde já nos remeta
A um futuro de equilíbrio
Sem Mãe-Terra ser sarjeta

Ciclovias deveriam
Ser melhor utilizadas
As bicicletas também
Melhores aproveitadas
Porém faltam condições
Para serem bem usadas

Ir de casa pro trabalho
Pedalando poderia
Ser a opção usada
Pela grande maioria
Se criadas condições
Muita gente isso faria

Por isso que nesse dia
A nossa população
Está sendo convidada
A uma reflexão
E deixar o carro em casa
É principal condição

Aproveite esse dia
Pra contemplar a cidade
As belezas que ela tem
Pra sentir a vaidade
De estar no Rio de Janeiro
Terra da felicidade

Incorpore essa idéia
E traga pra discussão
Seu desejo de viver
Num mundo sem ambição
Com a natureza livre
De tanta poluição

Vamos invadir o Rio
Com arte com poesia
Música, teatro, cordel
Paz, cultura e cantoria
Poucos carros pelas ruas
E muita cidadania

A Prefeitura do Rio
E o governo estadual
Órgãos e secretarias
Juntos num mesmo ideal
Participam deste dia
De importância mundial

ONG’s, Associações,
A população civil
Imprensa, todas as forças
Que fazem o nosso Brasil
Convidamos a se unirem
Nessa causa varonil

Mundo menos poluído
Assim nós iremos ver
Ruas com poucos veículos
Com crianças a correr
Uma invasão de cultura
Só basta a gente querer


Lhe convido a viver
Um dia bem diferente
Com o mundo irmanado
Em prol do meio ambiente
Neste ato importante
Nós veremos num instante
A população contente


Rio de Janeiro, 31 de agosto de 2009











8

domingo, 30 de agosto de 2009

Discografia

CD Crença
Download aqui

CD Pé-de-Serra
Download aqui

CD O Salvador Daqui
Download aqui

CD O Povo de Gonzagão
Download Aqui

Em breve o CD SEMENTE

segunda-feira, 27 de abril de 2009

domingo, 22 de março de 2009

Discurso de Posse no Centro Municipal Luiz Gonzaga de Tradições Nordestinas

DISCURSO DE POSSE no CMLGTN DIA 12/3/2009


Este é o momento mais importante da minha vida em meio aos grandes momentos que já vivi. A vida já me deu grandes emoções. Sou artista, cantador e poeta e ao longo da minha carreira, já reuni multidões e recebi muitas homenagens, dentre elas os títulos de Cidadão Carioca e Fluminense. Porém afirmo sem medo de estar enganado, que a honra de ter sido convidado pela nossa Secretária de Cultura Jandira Feghali para ser o gestor municipal do CLGTN e de hoje estar aqui tomando posse, me enche de alegria, me desperta a maior das emoções e também me coloca nos braços, uma tremenda responsabilidade. Assumo essa responsabilidade e também o privilégio de cuidar de um patrimônio cultural acumulado por várias gerações de nordestinos migrantes como eu, que um dia saíram das suas localidades em um ponto qualquer do nordeste, para buscarem aqui no Rio de Janeiro o progresso. Ainda bem, que essa minha trajetória, como a de qualquer um do meu povo, foi feita de lutas e sacrifícios e isso dá um crédito, a mim e a qualquer um do meu povo, para estando aqui no meu lugar, não temer o desafio e entender que o progresso é fruto do trabalho árduo, mas acima de qualquer coisa, de planejamento e ações ordenadas.

O progresso não pode nunca chegar sem trabalho, sem organização, sem planejamento e sem ordem. Para qualquer empreendimento humano funcionar, ele precisa contar com esses elementos e nenhuma pessoa em sã consciência, desejaria viver na desordem. A Feira Nordestina de São Cristóvão é um grande empreendimento, que pode gerar os meios, para que todos que nela atuem, possam viver com dignidade através do fruto do seu trabalho honesto. No entanto, será preciso que esse conjunto, planejamento, Trabalho, organização e ordenamento, seja implementado o mais rápido possível, para que a nossa feira, possa ser mãe e não madrasta dos que trabalham e sobrevivem sob o seu teto. A nossa gestão a frente dos destinos da feira de São Cristóvão, primará por esse objetivo e terá o progresso do CMLGTN como meta. Temos conhecimento dos grandes e dos pequenos problemas que ao longo do tempo foram se instalando e se acumulando por aqui e de posse do diagnóstico dessas doenças, podemos “aviar uma receita” e aplicar o remédio que as cure. Mas para qualquer remédio funcionar o paciente precisa tomá-lo de acordo com as prescrições médicas. E eu prescrevo um remédio caseiro e simples, para curar todos os males da feira, “a união”. Precisamos nos unir, os grandes, os médios e os pequenos, a Associação dos Feirantes e a Prefeitura, os fornecedores e os comerciantes, para darmos aos freqüentadores do CMLGTN o melhor em nossas atividades, a certeza que a cultura nordestina continuará viva neste espaço que nasceu em função da nossa migração e do encontro conosco mesmos, através dessa nossa rica cultura. Tudo que aqui tiver de mais nordestino, de mais nosso, é o que atrairá além do nosso povo, os turistas, os curiosos, todos aqueles que buscam o diferente, o especial e conseqüentemente isso fará o sucesso desse empreendimento e o nosso. Hoje com a Feira administrada pela Secretaria Municipal de Cultura, com a nossa querida secretária Jandira Feghali à frente e comigo como o seu gestor, a boa vontade da prefeitura da cidade do Rio de Janeiro na pessoa do nosso prefeito Eduardo Paes, com o alinhamento entre os governos do nosso município, do nosso estado e do governo federal, temos a faca e o queijo na mão, e unidos, faremos daqui um centro irradiador e aglutinador da força cultural do nosso povo nordestino, especialmente daqueles que escolheram a cidade do Rio para morar. Faremos da Feira Nordestina que já é o espaço mais visitado da cidade maravilhosa, o orgulho de nordestinos e cariocas, que aqui se irmanam, se misturam e formam um só povo e que caminhando juntos, ao mesmo tempo em que caminham, também constroem a estrada que nos levará ao futuro, futuro que será brilhante para todos nós e especialmente para este espaço maravilhoso que o migrante nordestino legou a cidade que o acolheu, o CMLGTN nossa querida Feira de São Cristóvão ou Feira dos Paraíbas como queiram chamar, não importa, o importante é estarmos como dizem os Jovens, Juntos e misturados.

Meu abraço fraterno.

Marcus Lucenna

segunda-feira, 2 de fevereiro de 2009

A VOZ NO NOSSO MUNDO MODERNO

MARCUS LUCENNA

O NOSSO MUNDO MODERNO
PODIA SER DE BONANÇA
MAS MAL ADMINISTRADO
É UM MUNDO DE EMBOANÇA
O QUE PODIA SER BOM
FOI TRANSFORMADO EM LAMBANÇA

CHACINARAM A ESPERANÇA
MATARAM A FELICIDADE
A CULTURA FOI VARRIDA
EM PROL DA BANALIDADE
DIVULGAM MUITA MENTIRA
ESCONDEM TODA VERDADE

SE EU FOSSE UM CABRA COVARDE
PODIA ME ACOMODAR
ME VENDER, FICAR COM MEDO
FICAR OMISSO, CALAR
SER CÚMPLICE, NÃO FAZER NADA
ME DAR BEM E NÃO LUTAR

COMO EU IRIA ENCARAR
A MINHA PRÓPRIA IMAGEM
SE EU FOSSE UM MENTIROSO
RECEBENDO UMA HOMENAGEM
POR AQUILO QUE NÃO FIZ
COMO UM HERÓI SEM CORAGEM?

POR ISSO NESSA VIAGEM
QUE A GENTE CHAMA DE VIDA
RESOLVI SER LUTADOR
ENTRE BATALHAS PERDIDAS
RECOLHI A EXPERIÊNCIA
QUE EMPREGO EM GUERRAS VENCIDAS

NUNCA FICAM ESMAECIDAS
AS CORES DA ESPERANÇA
A VOZ DE QUEM GRITA EM NOME
DO FRACO, O POBRE, A CRIANÇA
VELHO, FAMINTO E SEM TETO
POIS COM DEUS FAZ ALIANÇA


QUEM TEM FÉ NUNCA SE CANSA
NEM VIVE PARA ESPERAR
FÉ EM DEUS E PÉ NA TÁBUA
DIZ O DITO POPULAR
QUEM ANDA COM FÉ ALCANÇA
E MAIS LONGE HÁ DE CHEGAR

VOZ QUE NÃO PODE CALAR
POIS FALA EM NOME DO POVO
VOZ QUE É POPULAR
PORQUE TRAZ UM CANTO NOVO
ME EMOCIONO AO FALAR
ME DERRETO EM PRANTO E CHOVO

CAIO E LEVANTO DE NOVO
PORQUE NÃO POSSO PARAR
MINHA VOZ SUSSURRA E GRITA
ELA QUER LHE ACORDAR
VOZ QUE NÃO FICA CALADA
PORQUE TEM O QUE FALAR

segunda-feira, 19 de janeiro de 2009

PROGRAMA NAÇÃO NORDESTE DE VOLTA!

Nesta segunda-feira dia 19 às 20h volta ao ar o Programa Nação Nordeste com muitas novidades e apresentado pelo poeta “Cantador dos Qu4tro Cantos”, esse amigos de vocês, Marcus Lucenna. O programa será essencialmente musical e manterá seus quadros tradicionais como: “Histórias de Retirantes”, “Momento Brega”, etc, mas trará novidades como a participação diária no programa do prefeito de Nova Iguaçu o paraibano Lindberg Farias comentando notícias publicadas nos principais jornais do Nordeste, terá link, com rádios daquela região e promoverá encontros de nordestinos da mesma cidade que morando no Rio não se contactam uns com os outros e também estabelecerá vínculos entre parentes que ficaram no Nordeste, com os que vieram para cá e nunca mais se viram, alguns já com filhos que nascidos por aqui, nem conhecem os laços de famílias que lá ficaram.
O programa irá ao ar em dois prefixos e em dois horários diferentes: Na Rádio Metropolitana 1090AM, o programa irá ao ar de segunda à sexta-feira das 20 às 22h ao vivo e na Rádio Bandeirantes 1360AM, será reprisado, no horário das 5 às 7h da manhã. Convidamos você para participar desta festa nordestina que conquistou o Rio, o programa Nação Nordeste. Ouça, ligue e participe!